Netflix, Polícia Federal e Gravadoras Apertam Cerco Contra Pirataria

A atividade gera milhões em prejuízos para as produtoras, agora, elas juntam forças com polícia e associações para tentar combater a pirataria de sinal de tv e de streaming.

Nos últimos meses, a polícia, em conjunto com denúncias de produtoras e grandes empresas como Netflix, tem conseguido efetuar várias prisões e apreensões de Tv box pirata, além de tirar sites do ar que hospedavam aplicativos como cinevision, futemax e outros, que eram acusados de transmitir sinal pirata de streaming.

Agora, a ideia é processar não somente quem vende, mas também quem consome este tipo de conteúdo ilegal.

netflix e policia federal contra pirataria digital

Netflix e Polícia apertando cerco contra pirataria

O que tem ocorrido é que com a popularização e preço baixo das famosas android boxes, somado a crise financeira da população, infelizmente muita gente acaba recorrendo a pirataria, instalando apps ilegais que liberam sinais de sky, netflix, globoplay e outros para assistir aos conteúdos.

E com isso, a venda desses dispositivos tem disparado. Mas por outro lado, a polícia federal segue apreendendo mais e mais volumes desses aparelhos, além de tirar sites do ar que transmitem os conteúdos e também processar seus donos.


Brasil vira alvo de Hollywood

Infelizmente, o Brasil está se tornando um alvo para empresas do exterior que combatem a pirataria. É que em um relatório publicado neste ano, estúdios de Hollywood — Disney, Netflix e outros — incluíram 2 sites brasileiros na lista dos sites mais prejudiciais para a indústria cinematográfica.

O documento foi criado por produtoras dos EUA para impulsionar o combate à pirataria pelo mundo. Esses estúdios têm elaborado parcerias com as polícias de vários países, como a polícia federal do Brasil por exemplo. Com isso várias redes foram retiradas do ar, ano passado e no início desse ano.


NetFlix, Amazon e Apple juntas

De acordo com o site TorrentFreak, recentemente as 3 grandes da tecnologia, se uniram para processar empresas de VPN que facilitavam a pirataria. Essa ação foi assinada na última segunda-feira (6) e se concentra na violação de direitos autorais, concluindo que se exija uma indenização pelos danos causados.

O réu, no tribunal da Califórnia, se trata do texano Dwayne Anthony Johnson, dono dos provedores piratas AllAcessTV (AATV) e Quality Restreams.

As duas empresas disfarçavam-se como operadoras de um serviços de VPN, mas na verdade, ofereciam um enorme catálogo de filmes e séries sob demanda, que podiam ser assistidos a qualquer momento via celular, tablet, smart TV, box TV e computadores.

vpn usado na pirataria de filmes e séries

É crime assinar IPTV?

Sim!  Se você assina um serviço que não é algo legal como a netflix, directv2go, globoplay, etc, pode ter problemas. Não é crime apenas vender esse tipo de aparelho, mas também o fornecimento do sinal de IPTV sem pagar pelos direitos autorais.

É o mesmo crime que ficou conhecido como “gatonet”, mas sem os cabos, e quem pratica esse tipo de atitude pode ser preso. Sim, os casos são raros, mas a polícia tem intensificado a fiscalização e quer processar alem de quem vende, também os usuários.

Só possuir o aparelho não seria crime, se você utilizar esses aparelhos para assistir Netflix ou outros apps oficiais que você esteja pagando por eles.


Considerações finais

Bom, espero que tenha ficado claro que o crime de furto de sinal de transmissão anda cada vez mais sendo combatido e que não vale a pena, certo caros leitores? 

Tem alguma sugestão de artigo? Então deixe nos comentários mais abaixo…

 

Deixe um Comentário