Papel Grau Cirúrgico: O que é? É Reciclável / Reutilizável?

Papel grau cirúrgico: saiba mais sobre o material utilizado em esterilizações…

Prática adotada como padrão em estabelecimentos de saúde, a esterilização de materiais obedece a determinados procedimentos a fim de que seja realizada com êxito.

Um dos componentes empregados para isso é o chamado papel grau cirúrgico, cuja finalidade é embalar os instrumentos utilizados na área cirúrgica quando estes são submetidos a autoclaves, por exemplo.

 

Papel grau cirúrgico: O que é? É reciclável / reutilizável?

Papel grau cirúrgico

O papel grau cirúrgico é composto por uma estrutura dupla, onde um dos lados é formado por filme e o outro por um papel especial, que permite com que o agente esterilizante permeie sua superfície sem que o mesmo ocorra com os microrganismos contaminantes.

A parte composta pelo filme é totalmente impermeável e serve para reter o produto que será utilizado com a finalidade de esterilizar materiais. Dessa forma, o processo torna-se ainda mais seguro e efetivo, garantindo com que diversos tipos de contaminação sejam evitados.

A parte caracterizada pelo papel é formada por algumas camadas do material que são sobrepostas estrategicamente com o intuito de que ocorra uma maior penetração do líquido encarregado de agir na esterilização de diversos tipos de material.

   
 

No Brasil, o papel grau cirúrgico é um velho conhecido de locais onde são efetuados procedimentos cirúrgicos. Assim sendo, é preciso atentar para a necessidade de haver a certificação da ANVISA quando de sua aquisição.

É possível reutilizar o papel grau cirúrgico?

A preocupação com a contenção de gastos é algo recorrente nos dias atuais. Na área da saúde não é diferente, embora alguns procedimentos sejam considerados inadequados ou até mesmo proibidos de serem realizados no país.

Mesmo que alguns administradores de estabelecimentos acreditem que possam diminuir os custos por meio da reutilização de materiais, é preciso que se observe quais são os limites legais para que isso ocorra.

Se determinada norma existe, isso decorre de um grande estudo organizado até que se chegue a determinado consenso sobre algo. Em se tratando do papel grau cirúrgico, a recomendação dos órgãos de saúde competentes é a de que este não seja reutilizado.

Razões pelas quais o papel grau cirúrgico não pode ser reutilizado:

Por meio de um conjunto de normas, a ANVISA se encarrega, dentre outras coisas, de regular a utilização desse tipo de material no país. Há até mesmo uma relação indicando quais itens não devem ser reprocessados após seu emprego em processos de esterilização. Conheça alguns motivos que justificam a não utilização do papel grau cirúrgico:

fato do material ser submetido ao calor extremo, modificando sua estrutura física, o que faz com que perca sua eficácia;
por modificar sua coloração ao longo da esterilização, pode gerar certa confusão entre os profissionais do estabelecimento, de maneira que há o risco de que utensílios contaminados sejam utilizados;
há a inutilização das propriedades encontradas na embalagem após uma única utilização.