Empregos no Japão para Brasileiros não Descendentes: Como conseguir?

Veja como conseguir um emprego no Japão mesmo não sendo descendente…

Você sabia que, em 2017, a oferta de emprego no Japão atingiu o melhor nível em 43 anos devido à falta de mão de obra? Tudo bem, eu sei, quem já pesquisou pelo menos uma vez por empregos no Japão, com certeza já deve ter visto alguns com a exigência: “Aceitamos apenas descendentes de japonês“.

Mas, diferente do que muitos podem acreditar, encontrar empregos no Japão sem ser um nipodescendente não será uma tarefa difícil se você souber o caminho certo a seguir. Pra te ajudar nessa jornada, separamos cinco dicas que vão fazer você finalmente encontrar um emprego.

Empregos no Japão para não descendentes – Como conseguir?

Empregos no Japão para brasileiros não descendentes: Como conseguir?

1. Aprenda a falar inglês (e japonês também, claro)

Se você busca por um emprego no Japão e mal sabe falar a língua do país, não precisa se desesperar. Além do japonês, o inglês também é muito valorizado por lá. É que os japoneses possuem uma grande dificuldade para aprender essa língua e, aí, valorizam bastante profissionais que a dominam.

Portanto, o inglês pode, sim, te ajudar a se destacar – enquanto você aprende a língua materna do país, obviamente.

2. Crie uma rede de contatos

Busque na web por grupos de brasileiros que já moram no Japão. Esses espaços são muito úteis para quem busca conhecer e compartilhar experiências.

   
 

Tem gente, inclusive, que aproveita pra vender o próprio peixe e alguns até têm sucesso conseguindo uma indicação para vagas de emprego.

3. Ao procurar por uma vaga de emprego no Japão, concentre-se nas áreas onde há maior carência de profissionais

De acordo com uma pesquisa feita há alguns anos, mas que ainda representa a realidade atual, 83% dos profissionais de RH no Japão têm dificuldades para contratar os seguintes profissionais:

  • – Engenheiros
  • – Representantes de Vendas
  • – Profissionais de TI
  • – Contadores e profissionais de finanças
  • – Motoristas
  • – Técnicos
  • – Gerentes de Vendas
  • – Médicos e profissionais de saúde (exceto enfermeiros)
  • – Operários
  • – Trabalhadores de Ofício

4. Qualifique-se na área que escolheu

Faça cursos, participe de seminários, pesquisas na internet, o que for necessário! Por mais que nenhuma das áreas acima seja a sua, o fato de você se aplicar a uma delas pode aumentar consideravelmente a chance de receber um “sim” dos recrutadores, principalmente se for recém-chegado no Japão, ou ainda estiver procurando por emprego no Brasil.

Lembre-se: a área que você escolher não precisa ser aquela em que você vai passar o resto da vida. Será apenas uma estratégia para que você consiga se estabelecer no Japão e tenha um visto de residência para viver tranquilamente por lá.

5. Esteja disposto a trabalhar duro

Esqueça aqueles cinco minutinhos a mais de sono. Os japoneses são muito pontuais e levam a sério o trabalho, que costuma ter jornadas bem mais longas que as do Brasil.

Então, se você quiser se destacar no mercado de trabalho japonês, não tem outro jeito: vai ter que trabalhar duro por isso.

Gostou das dicas? Então deixa um comentário! Dê sua opinião!