Móveis Planejados: Como economizar na escolha?

Móveis planejados – Formas de se economizar em criar um ambiente com identidade e personalidade…

O sonho de ter um apartamento ou uma casa digna de capa de revista se torna cada vez mais real quando falamos em móveis planejados, pois a gente percebe que aquele ambiente foi criado com nosso jeitinho exclusivo e único para morar naquele espaço.

Mas o que se deve atentar é o fato de que ao criar um projeto de ambientação e decoração se requer gastos que podem sair muito caros, que vão desde a pequenos retoques num ambiente até obras majestosas que provavelmente deixarão um ambiente luxuoso e com a sua identidade pessoal, como se fosse uma marca registrada, porém o orçamento nem sempre ajuda.

 

Móveis Planejados: Como economizar na escolha?

 

Móveis planejados: Como economizar na escolha?

Para isso medidas cautelosas devem ser tomadas, ainda mais quando se mora num espaço alugado, em que não temos 100% de autonomia para transformar e dar asas a nossa imaginação

Então para isso vamos ao nosso TOP 3 fatores principais para economizar e conseguir investir em móveis planejados.

   
 

1) Realizar o projeto e a compra de itens com empresas de pequeno porte.

Não é porque você viu na revista que uma celebridade montou sua casa com peças trazidas de Paris que você também não pode montar um ambiente agradável e com sua identidade visual e personalidade.

Tente montar um projeto com uma empresa que não tenha um grande renome no mercado ainda, porém que seja de grande eficiência, pois assim será mais fácil entrar em acordo sob preços, quem sabe realizar uma permuta em troca de descontos ou até mesmo indicar essa empresa a um número X de pessoas para que assim a empresa conquiste maiores clientes e você obtenha um bom abatimento no orçamento final;

2) Móveis planejados que tenham mais de uma função.

De acordo com a vida cada vez mais atribulada de afazeres as pessoas têm optado por ambientes cada vez menores, então um bom e eficiente móvel seria aquele que conseguisse realizar mais de uma função, que apesar de ser bonito e compor o espaço sob medidas exatas ele deve ser funcional e se adequar às necessidades da vida moderna.

Por exemplo, um sofá que pode ser transformado em um beliche, uma estante que se converte em cama sem mexer nas prateleiras ou uma mesa de trabalho que pode se adaptar e tornar-se facilmente uma cama para um hóspede.

3) Mistura de materiais e a escolha de cores neutras.

Ao montar um projeto funcional a seleção de materiais pode encarecer de forma absurda, para tanto a mistura de materiais que não estejam em alta ou mesmo o uso de um único material pode baratear o projeto.

Assim como ocorre com as cores dos itens, uma vez que haja o interesse por cores vibrantes e não muito usuais pode demandar encomendas que não são muito baratas, pelo contrário, a seleção por cores mais comuns como branco, preto e cinza são mais viáveis. E um item crucial que não podemos esquecer são os benditos puxadores.

Tente criar um espaço sem a necessidade deles pois eles são imensamente caros quando são de metais, pois os de plástico facilmente quebram ou deterioram.